Nilson Leitão pede suspensão das demarcações de terras indígenas

16/08/2013 00h27 - Atualizado em 16/08/2013 00h27

Nilson Leitão pede suspensão das demarcações de terras indígenas

O deputado solicitou a presidente da Funai a suspensão das demarcações para que debates sejam organizados

Por: Redação Mutum Noticias
 
 

O deputado Nilson Leitão (PSDB/MT) participou nesta quinta feira, 15, de audiência com a presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Maria Augusta, onde tratou sobre as demarcações de terras indígenas e solicitou oficialmente a suspensão das mesmas.

Segundo Leitão o momento é precioso para estabelecer um diálogo, podendo assim, formar uma estrutura de trabalho para determinar com maior clareza quais as áreas são de fato procedentes de tribos indígenas. Os deputados explicaram que a interpretação feita sobre a intenção da Câmara está sendo equivocada. O congresso não está contra ninguém, apenas deseja discutir o assunto com clareza para encontrar uma política que seja favorável ao índio sem prejuízo da outra parte envolvida.

“A Funai tem que reconhecer que o modelo utilizado até agora está vencido. É preciso no mínimo cumprir o que a presidente anunciou publicamente, suspender as demarcações e mudar o processo de atuação”, defende o deputado.

O assunto vem sendo pauta há anos, mas teve seu acirramento nos últimos dez, onde famílias foram desapropriadas e os conflitos começaram a gerar mortes. Audiências com o vice-presidente, Michel Temer; com a Ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann; com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo; além de órgãos envolvidos, foram elaboradas para tratar sobre o assunto, mas nenhuma soluções cabível foi implementada até o momento.

Em agosto do ano passado, Nilson Leitão, apresentou ao Ministro Cardozo uma proposta de criação de um grupo de trabalho para debater com profundidade a situação de demarcações e ampliações, além dos direitos indígenas e dos produtores, podendo assim chegar a um consenso coerente para ambos os lados.

“A proposta inicial era criar esse grupo de trabalho e buscar soluções, mas nosso pleito não foi atendido. Nós estamos dispostos a visitar áreas em todo o território nacional para debater, fazer estudos e mostrar que é possível chegar a um acordo. Precisamos por fim as guerras que estão acontecendo, se não, vai radicalizar para um dos lados”, explica Leitão.

A presidente da FUNAI se comprometeu a visitar os estados junto com os parlamentares, colocando o órgão a disposição para participar dos debates. De acordo com Maria Augusta “é preciso abrir a questão para o debate para que seja possível ajudar o Brasil diante desse impasse”.

Estavam também presentes na reunião o deputado e presidente da Comissão de Integração e Desenvolvimento Regional da Amazônia (Cindra), Jerônimo Goergen, o presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado Luis Carlos Heinze, e o deputado Márcio Junqueira.