Sem dinheiro, Taques admite possibilidade de escalonar salários

Redação Mídia News - 04/11/2017 07h45 - Atualizado em 04/11/2017 07h45

O governador Pedro Taques (PSDB) admitiu na manhã desta sexta-feira (3) a possibilidade de o pagamento dos servidores públicos ser realizado de forma escalonada neste mês.

"Existe possibilidade de não pagar todos os servidores [até dia 10]? Dependendo da receita de segunda, terça-feira da próxima semana, essa possibilidade existe", afirmou o governador, durante coletiva de imprensa realizada no Palácio Paiaguás.

"Mas quero dizer aos servidores que eles são prioridade na nossa administração. Esta semana teremos muito trabalho para que possamos, até o dia 10, pagar todos os servidores", disse.

Segundo ele, até o momento, o Governo dispõe de recursos que garantem o pagamento de 85% a 90% da folha.

Faixas salariais

O secretário de Estado de Fazenda, Gustavo de Oliveira, explicou que o pagamento escalonado, caso ocorra, será realizado por meio de faixas salarias: primeiro aqueles servidores que recebem até R$ 5 mil; em seguida os que têm salários entre R$ 5 e R$ 10 mil; por fim os que ganham mais de R$ 10 mil.

No último mês, o Governo pagou 78% dos servidores no dia 10 (data limite para pagamento) e 22% dos servidores receberam os salários no dia seguinte, em razão de dificuldades no fluxo de caixa.

Na ocasião, receberam primeiro aqueles servidores das pastas de Saúde, Segurança e Educação.

"Até o mês passado a folha era gerada por secretarias. Então a única escolha naquela ocasião foi definir se determinada secretaria seria paga ou não. Então, uma mudança de estratégia já tinha sido determinada após aquele episódio", disse Oliveira.

"Passamos a gerar a folha em frações escalonadas. Isso não quer dizer que a decisão de escalonamento já esta tomada. A folha então sempre será gerada assim: até R$ 5, entre R$ 5 mil e R$ 10 mil e acima de R$ 10 mil. Isso, em caso de insuficiência de recursos, para pagar o maior número possível", concluiu.