Pedágio na BR-163 fica mais a partir dessa quinta-feira

Em Nova Mutum valor que era de R$ 3.70 passará para R$ 3.80

Redação com Assessoria - 17/10/2018 11h11 - Atualizado em 17/10/2018 11h11

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) reajustou a tarifa de pedágio da BR-163, em Mato Grosso, em 2,18%. O percentual ficou abaixo do Índice de Preços ao Consumidor (IPCA) registrado no último ano, que foi de 4,48%. A medida passa a valer a partir de zero hora de 18 de outubro. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União de hoje (17/10).

Na prática, são acrescidos R$ 0,10 aos valores. Assim, as novas tarifas variam de R$ 3,80 a R$ 7, de acordo com a área de abrangência.

Vale destacar que a definição de reajuste é atribuição do Governo Federal e não da Concessionária. O cálculo realizado pela ANTT para revisão tarifária tem como base o índice da inflação do período (IPCA), a inclusão ou exclusão de obrigações a serem cumpridas pela concessionária e o cumprimento do contrato assinado entre o Governo Federal e a Rota do Oeste. Com relação ao IPCA, o período considerado para estudo foi de julho de 2017 a julho de 2018.

Investimento

A Concessionária destaca que os valores arrecadados nas praças de pedágio são investidos majoritariamente na BR-163, por meio dos serviços de conservação, recuperação e manutenção do pavimento, bem como para custear os atendimentos aos usuários.

Os serviços operacionais tiveram início em 20 de setembro de 2014 e já acumulam cerca de 450 mil atendimentos no período, registrando uma média diária de 310 acionamentos.

As equipes realizam trabalhos diversos, que vão desde recolhimento de objetos na pista à prestação de socorro e resgate de vítimas de acidentes, sempre com foco na garantia da segurança e preservação da vida.

Para assegurar a cobertura de todo o trecho sob concessão, a Rota do Oeste conta com 18 bases de Sistema de Atendimento ao Usuários (SAU), uma a cada 47 quilômetros, em média. As unidades dispõem de ambulância, guincho leve, guincho pesado e equipes de inspeção que monitoram toda a rodovia. Há ainda cinco caminhões pipas para atender a ocorrências que envolvem fogo ou risco de incêndio.