Júlio Campos dispara: “É desgastante para o DEM uma candidatura de quem está preso” - Mutum Notícias de Mato Grosso

Júlio Campos dispara: "É desgastante para o DEM uma candidatura de quem está preso"

Redação Mídia News - 03/08/2018 07h57 - Atualizado em 03/08/2018 07h57

O ex-governador Júlio Campos (DEM) avalia que será "desgastante" para o partido lançar o deputado estadual Mauro Savi (DEM) como candidato à reeleição no pleito deste ano.

O parlamentar está preso no Centro de Custódia de Cuiabá, em Cuiabá desde o dia 9 de maio, acusado de participar de um esquema de fraudes operado no Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT).

Por meio de sua defesa, Savi já manifestou que tem intenção de tentar uma vaga na Assembleia Legislativa novamente.

"Pela lógica, ele está com todos os documentos legais, está apto para disputar. Mas é pesaroso para o partido e até desgastante assumir esse ônus de uma candidatura de uma pessoa que está respondendo a um inquérito por corrupção e que está lá preso no CCC", disse o ex-governador, em entrevista à Rádio Capital.

Ao MidiaNews, Juúio Campos explicou que a deliberação sobre a candidatura de Savi será tomada pela Executiva Estadual do partido, no próximo sábado (5), quando acontece a convenção do Democratas.

Mauro Savi está preso desde maio. Mauro Savi está preso desde maio.

Segundo Júlio, têm direito a se manifestar sobre o assunto, ele que é secretário-geral do partido, e os outros seis integrantes da Executiva: deputado Fabio Garcia (presidente), deputado Dilmar Dal Bosco (tesoureiro), o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (DEM), além do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, o ex-senador Jaime Campos e o deputado estadual Adriano Silva (membros).

"Essa candidatura do Savi será deliberada por essas sete pessoas, assim como as demais candidaturas. Temos 21 pré-candidatos a estadual, temos que cortar para sete. E outros seis que pretendem disputar a Câmara Federal, dos quais vamos escolher dois", explicou Júlio.

"Com relação ao deputado Mauro Svai, repito: legalmente, não há impedimento em ser candidato. Ele não é processado como ficha-suja. Ele está preso preventivamente. Enfim, é um assunto que só executiva do partido, composta por esses sete cidadãos, que vai estudar qual a posição partido com relação ao pedido de registro de candidatura", concluiu.